quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Faça da sua vida uma limonada!


Eu adoro assistir às palestras de grandes mestres através do Youtube, pois aprendo muito, sem mencionar que eu aprendo mais ouvindo do que lendo, e olha que eu AMO ler.

Recentemente, conheci o coach Paulo Vieira através de um desses vídeos, feito por um programa de televisão. A partir daí, eu comecei a assistir aos seus vídeos, e até comprei seu livro “O Poder da Ação”, que também já o li. (risos)

No entanto, ao ouvi-lo comecei a notar seus erros constantes de português, coisa boba, mas era o que me chamava mais a atenção. Nesse momento, eu pensei: “Meu Deus! Como eu só presto atenção às coisas ruins. Ele está falando tanta coisa boa, e eu aqui dando atenção aos erros de concordância dele”.

Eu comecei a procurar ajuda para mim quando, em 2014, uma prestadora de serviços que trabalhava para uma franquia de escolas de idiomas em que trabalhava na época me disse assim: “Tânia, eu gosto muito de você, mas você é muito negativa”. Naquele momento, confesso que fiquei com vontade de retrucar, dar meu ponto de vista, mostrar como eu era vítima das circunstâncias da vida, porém, no mesmo momento, eu prestei atenção aos meus pensamentos e percebi que ela tinha razão e me calei.

Para você ver como certos vícios emocionais não são fáceis de modificar, mas continuo empenhando nisso.

Depois disso, parei de prestar atenção aos erros do Paulo Vieira em seus vídeos e passei a dar mais foco em suas mensagens, que, aliás, são excelentes!

Fuçando no Youtube, encontrei uma palestra do William Douglas, autor do livro “Como passar em provas e concursos”. Você deve estar pensando, o que concurso e prova têm a ver com o que eu estou falando. Bom, a palestra era sobre seu outro livro, “As 25 leis bíblicas do sucesso”. Ele é evangélico, mas seu ponto de vista vai muito de encontro com o Budismo e dei continuidade. Por causa disso, eu fucei no Youtube para encontrar mais palestras dele, e numa delas ele disse mais ou menos assim: “Eu tenho muitas pessoas conectadas em minhas redes sociais, Facebook, Instragram, Twitter... mas tenho notado o quanto as pessoas estão ficando chatas! Elas são capazes de fazer uma limonada um limão”.

Não, você não leu errado e nem escrevi errado. O que ele quis dizer é que as pessoas têm tudo a sua volta, muitas coisas boas acontecem a elas, mas elas só focam nas coisas ruins que acontecem em suas vidas. Tornando-as chatas!

Sabemos que ser uma pessoa negativa/pessimista não ajuda em nada, muito pelo contrário, atrapalha a prosperidade, o sucesso, os acontecimentos bons...

Muitas vezes, ou sempre, fazemos isso inconscientemente. Estamos tão ligados no automático que não damos conta do quanto isso é prejudicial a nós mesmos.

Não fomos criados para sofrer. O Universo nos deu tudo, está aí à disposição de todos nós, no entanto, o que você vai fazer com isso tudo é problema seu.

Veja a vida de forma mais colorida e divertida, não dê bola para os acontecimentos ruins, eles fazem parte de nossas vidas para que possamos superá-los. Uma vida sem obstáculos e dificuldades é uma vida morta. Isso mesmo, você não aprende, não cresce, e deixa de viver as maravilhas que a vida nos dá.

Na próxima vez em que estiver num trânsito (ou qualquer outra situação conflitante), reflita sobre a vida, olhe as pessoas a sua volta, repare na paisagem, cante aquela canção que tanto gosta, enfim, não se estresse por isso. Tudo na vida passa, até o trânsito!

Faça da sua vida uma limonada!


Namastê.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Você não precisa ser Budista para praticar o Budismo

Assim como você não precisa ser cristão, católico, hinduísta, espírita... Basta seguir algumas pequenas condutas para ter uma vida leve e feliz.

No Budismo existe o Nobre Caminho Óctuplo, que são preceitos ensinados pelo Shakyamuni há mais de 2.000 anos. São eles:

1) Compreensão Correta. Você deve ter uma boa compreensão da vida. Ninguém veio ao mundo para sofrer e acertar contas, mas para evoluir. Para isso, devemos aceitar as pessoas como elas são e por que elas agem da forma em que agem. Tudo está em perfeita harmonia com o Universo.

2) Pensamento Correto. Já faz muito tempo que têm aparecido dezenas de autores comentando/ensinando sobre o poder do pensamento positivo. No entanto, não é só isso. As nossas ações nascem de um pensamento, e por isso, devemos ter pensamentos nobres sobre nós mesmos e sobre as pessoas. Outra maneira para manter-se no Caminho Óctuplo é manter o pensamento no presente, pois a vida só acontece no agora. Passado e Futuro só existem na sua mente.

3) Fala Correta. Tem relação com o item anterior. Antes de falar, nós pensamos. E ao falar, estamos emanando energia para o Universo (para as pessoas, animais e plantas) e com isso, somos capazes de criar a nossa realidade e a realidade de outras pessoas. Se você quer que sua vida (e a vida dos outros) seja boa, fale somente coisas positivas, que são capazes de construir e não de destruir.

4) Ação Correta. Mais um item que está diretamente ligado ao Pensamento Correto. Antes de agirmos, pensamos. Outra forma de conseguir o que queremos é agir de acordo com os nossos pensamentos. Não adiantar desejar uma coisa, mas agir de forma contraditória. Seja bondoso em seus atos, faça suas atividades com amor, coloque-se no lugar do outro (compaixão), estimule as pessoas com as suas atitudes.

5) Meio de Vida Correto. Não roubar, não matar, não cometer adultério... Será que preciso dizer mais?

6) Esforço Correto. Tenha uma meta (ou mais de uma) e dedique-se a ela. Não perca o foco e faça tudo o que tiver que ser feito para conseguir o que quer, mas sempre mantendo o Meio de Vida Correto em mente, afinal, você não vai passar por cima das pessoas para realizar seus desejos, não é?

7) Atenção Correta. Shakyamuni nos ensinou que temos o estado de Buda dentro de nós. Se preferir, chame de “essência divina”, “Deus”, “consciência cósmica”, é tudo a mesma coisa, são apenas nomes diferentes. Saiba que você tem todos os recursos necessários dentro de você para ser um Buda nesta vida. Mantenha-se centrado na força universal que está em você, desta forma, você será capaz de perceber que todos nós somos iguais. Até aquele bandido também tem a essência búdica dentro dele. Não condene ninguém, somos todos iluminados.

8) Concentração Correta. Aqui entra a prática da meditação ou, se você preferir, a oração. Porque orar é uma forma de meditar. Em ambas as situações você está em contato consigo mesmo. Procure pesquisar na Internet quais os benefícios da meditação e da oração. Eu já escrevi muito sobre o poder da oração aqui no meu blog, ela tem a capacidade de transformar o mundo. Com a prática da meditação/oração diária faz com que sua energia negativa seja dissipada (ou transmutada) trazendo mais amor e paz para sua vida e a vida das pessoas ao seu redor. Não espere que algo ruim aconteça contigo para rezar. Lembre-se também de que rezar não é pedir, e sim agradecer.


Agora veja o vídeo do Lama Michel Rinpoche comentando sobre o mesmo assunto.


Observação: quero deixar claro aqui que esta é a minha visão do Nobre Caminho Óctuplo. Fiz uma adaptação em relação a tudo que venho estudando nos últimos 12 anos. Se quiser saber mais, pesquise na Internet, você irá encontrar muitos artigos interessantes a respeito. Bons estudos.

Namastê.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

As surpresas que vida nos dá.


Hoje, eu fiquei pensando no que escreveria, pois eu estava sem ideias. Foi quando eu recebi uma mensagem de um amigo que mora em Vitória, ES.

A nossa história é muito interessante. Quando eu era adolescente, esse meu amigo não gostava de mim. Eu nunca soube por que, mas ele nunca me deixava participar dos eventos que ele organizava com nossos amigos em comum, como festas, churrascos, jogos com bola etc.

Numa noite, ele organizou uma sessão de filmes na casa dele e convidou todos os nossos amigos. Eu aproveitei para ir com a minha irmã e, ao chegar a sua casa, ele deixou a minha irmã entrar, menos eu. E ele ainda falou na minha cara: “Aqui na minha casa você não entra.”

Não questionei e voltei para minha casa, e lá fiquei sozinha sem saber e entender os motivos que o faziam não gostar de mim. Tentei por várias vezes modificar a situação, mas nunca deu certo. Ele tirava sarro de mim, aliás, era o passatempo predileto dele. Ele não escondia de ninguém, e nem de mim, que não gostava da minha presença.

Os anos se passaram e ele se mudou de São Paulo. Daí em diante, eu nunca mais ouvi falar dele.

No entanto, o destino sempre arruma um jeito para acertar as coisas. Um dia, em 2014, recebi uma solicitação de amizade no Facebook. Era ele. Estranhei, mas aceitei mesmo assim. Logo em seguida, eu escrevi no meu perfil: “Não entendo como uma pessoa que me odiou a adolescência toda querer ser meu amigo no Facebook.” Foi um desabafo.

Alguns minutos depois, ele respondeu ao post com uma pergunta: “Está falando de mim?” E a partir daí começamos a conversar. Falei para ele tudo o que ele fez para mim e de quantas vezes eu tentei me aproximar dele, tudo em vão. Após conversarmos bastante e entendermos o que realmente aconteceu, ou acontecia entre nós, ele me pediu perdão.

Eu disse a ele que ele não precisava pedir perdão, porque eu nunca senti ódio dele e, apesar das suas tentativas de me afastar de sua vida, eu nunca me incomodei com isso. A partir daí, uma nova amizade surgiu. Foi o melhor presente que recebi naquele ano.

Hoje, nosso contato é apenas online. Não conversamos com frequência, mas só o fato de entender que tudo não passou de “idiotice de adolescente”, o passado ficou para trás, esquecido. Eu sou muito grata por isso ter acontecido comigo, com ele, com a gente.

Levou mais de 20 anos para gente nos entender. Por isso, nunca perca a esperança de resolver alguma coisa em sua vida. Cedo ou tarde, tudo se encaixa perfeitamente. As situações ruins, os percalços que a vida nos dá nos preparam para algo muito maior, e devemos confiar nisso.

Porém, se algo não foi resolvido, era para não ser resolvido, foi apenas uma experiência. Experiência essa que lhe levará a atingir seu bem maior no futuro.

A palavra de ordem hoje é: CONFIE!

Pense nisso. ;-)


Namastê.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

E chegou o fim das férias...


Quando eu ainda era uma mera funcionária de alguma empresa, eu achava muito estranho um professor ter duas férias por ano. Depois que comecei a trabalhar numa escola, percebi que essas férias são necessárias, muito necessárias. Um professor não trabalha só na escola, trabalha também em casa, corrigindo prova e lição de casa, preparando provas, preparando aulas, pesquisando, lendo, participando de cursos extras, entre outras tantas atividades.
Muitos de nós, professores, passamos os finais de semana em casa fazendo tudo isso que eu citei, porque temos prazos para serem cumpridos. Ainda mais quando, durante o ano, há muitos feriados prolongados. É uma correria só.
Eu não fui viajar, mas eu curti muito as minhas férias. Não sei por que as pessoas acham que férias só foram feitas para viajarmos. (pensando...)
Eu curti um “happy hour” com as amigas do Budismo no Outback, e comemos aquela deliciosa cebola, além de darmos muitas risadas juntas.
Revi meus ex-alunos Ricardo e Cristina. Meu encontro com o Ricardo foi bem interessante. Ele falou de Yoga e eu de Budismo. (risos) Ao final, trocamos livros. Eu dei para ele um livro sobre Yoga e ele me deu um sobre Budismo.
Com a Cristina foi mais interessante. Eu a iniciei no Reiki nível I. Foi um presentão de começo de ano. Fazia tanto tempo que eu não iniciava ninguém. E o resultado foi maravilhoso: ela está empolgadíssima e quer fazer os demais níveis comigo.
Minha irmã Rosana veio dos Estados Unidos passar alguns dias aqui. Fomos ao shopping, comemos muito. Ela quis curtir uma coxinha, pois nos EUA não é fácil de achá-la para comprar. Também almoçamos no Almanara. Uma delícia. Ela passou o Natal e o Ano Novo conosco, depois de cinco anos sem poder nos visitar. Ela ainda me deu muitos presentes legais. Adorei.
Passei o natal em Valinhos com a minha família.
Fui à piscina do meu condomínio umas duas vezes para curtir um pouco do verão.
Eu li dois livros novos e reli outros. Amo reler livros.
Participei do meu primeiro Gongyo de Ano Novo. Foi maravilhoso.
Continuei indo à academia do condomínio de onde moro. Mas que dificuldade de manter a boca fechada, viu? (risos)
Pedalei com o meu amigo-pai-mestre, Arnaldo, na ciclovia.
Fui pedalar na Ciclofaixa com meu amigo de infância, Eduardo. Ele ainda me apresentou seus amigos de pedalada.
Comi muito e engordei dois quilos. O.o
Assisti ao filme “Sete anos no Tibet” pela Netflix.
Doei roupas e sapatos, além de livros. Aliás, essa foi a primeira vez que doei alguns dos meus livros. Eu sou apaixonada por livros e sempre tive muita dó de dá-los ou vendê-los. Assim o fiz, e não me arrependi.
Recebi uma grana que eu não estava esperando e que veio bem a calhar. Obrigada Universo.
Cochilei muito à tarde, após o almoço.
Brinquei muito com os meus gatos.
Aprendi a gostar de chá de hibisco.
Fiz investimentos no Tesouro Direto.
Eu gostei tanto das minhas férias que, pela primeira vez na vida, eu não tenho vontade de voltar a trabalhar. (risos)
Talvez você ache que as minhas férias foram bem simples. No entanto, quantas pessoas gostariam de fazer o que eu fiz? Aliás, eu também gostaria de ter feito muita coisa que pessoas fazem em suas férias: viajar para praia ou para exterior, fazer um cruzeiro, fazer uma cicloviagem nacional ou internacional, fazer um intercâmbio estudantil... Porém, esta é a minha vida. Se ela me dá limões, farei uma limonada. Eu curti muito. Muito mesmo.
Não lamente nada em sua vida. Lamentar-se faz com que a sua prosperidade não aumente e corte seus planos para o futuro.
Curta o momento, pois é nele que vivemos. Não vivemos no passado e nem no futuro.
Não reclame que você não tem algo. Pois, quanto mais você reclamar do que não tem, mais você não terá.
Lembre-se de que a vida nos dá o que precisamos e não o que queremos.
Aliás, a vida age através de você e por você. Se quiser algo, aja! Não existe nada que não tenha algum esforço.
A vitória será só sua.


Namastê.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Não peça, agradeça.


A maioria de nós, quando oramos, temos o hábito de pedir coisas. Pedimos por mais saúde, por mais paciência, por um emprego melhor, para se curar de alguma enfermidade, para ajudar alguém etc. No entanto, pedir não é o caminho certo para conseguir o que deseja.

A monja Coen, do Zen Budismo, em seu vídeo (veja abaixo) diz, segundo um monge que vivia no deserto, que quem pede algo para Deus é para quem não tem fé. “A verdadeira fé é a entrega absoluta. Não tem de pedir nada, não tem de reclamar de nada, agradeça.”

Eu complementaria: não tem de questionar nada.

Eu mesma criei uma página extra aqui no blog para que qualquer pessoa, que tenha interesse, possa se manifestar e agradecer por qualquer coisa que tenha (ou não) em sua vida.

Portanto, se você quer ter mais do que já tem em sua vida, ore agradecendo. Se quiser ter algo que ainda não tem, ore agradecendo também. O Universo atende àquilo em que você mantém o foco. Parece estranho agradecer por algo que não tem, mas pode ter a certeza de que é este o caminho para que sua vida brilhe como você quer.

Eu tenho constantemente escrito sobre orações aqui, porque a oração (com o agradecimento) é melhor coisa para manter equilíbrio em sua vida e na vida dos outros. É um momento em que ficamos conosco, um momento de introspecção. E é nesse momento que tudo pode acontecer. Você irá se surpreender.

Inclusive, agradeça até pelas as coisas ruins. Elas são ferramentas para lhe ajudar a crescer. Lá na frente, você obterá os benefícios.

NÃO PEÇA, AGRADEÇA!

Sempre.

Namastê.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

A importância de manter-se focado.


Eu aprendi que não devemos fazer promessas. Afinal, toda promessa pode ser quebrada, e não vamos atingir o que queremos. O correto é saber usar as palavras certas, e por isso eu gosto de usar “fazer metas”, ao invés de “fazer promessas”.
Quando estipulamos uma meta, a tendência é que conseguiremos cumpri-la, o que nem sempre acontece com as promessas. Não é à toa que as empresas trabalham com metas, para que todos possam trabalhar, em conjunto ou não, para o que foi proposto seja atingido.
No entanto, para manter uma meta, existe a necessidade de manter-se focado. Mas como fazer isso? Parece bem simples: primeiro estipule o que você quer, pode ser eliminar peso, prestar um concurso público, mudar de emprego, iniciar um curso de idiomas, etc.; depois, estipule um prazo com data. A data é muito importante, pois é ela quem vai lhe ajudar a se manter focado em seu objetivo.
Se você tiver uma lousa em sua casa, escreva as datas e metas nela para que possa visualizá-las todos os dias, a fim de ser lembrado do que precisa ser feito para cumpri-las.
Caso prefira, para cada meta, faça uma lista de coisas ou atividades que precisam ser feitas no período para que a meta seja atingida de acordo com o planejado. Talvez, dessa forma, seja mais fácil manter-se focado no que precisa fazer.
E por incrível que pareça, o Universo trabalha a seu favor quando estamos a favor de nós, e tudo ocorrerá perfeitamente bem.
Em alguns casos, as metas podem ser atingidas antes do prazo. No entanto, se chegar o dia combinado e você não ter conseguido cumprir o que foi determinado, não desanime, estipule uma nova data e continue no processo. Tenho certeza de que irá conseguir o que tanto deseja.
Às vezes, pode ser que o que você quer, não é o que você precisa. Então, o Universo mexe seus pauzinhos para que tudo fique de acordo com você. Outra vez, não se desanime. Nem tudo o que queremos serve para nós.
Apenas, mantenha-se focado, cumpra o que foi determinado e verá que todo o esforço valeu a pena.

Lembre-se: não existe vitória sem esforço.

Observação: para ajudar a potencializar as suas metas, faça afirmações que possam auxiliá-lo no processo. Use, por exemplo: eu posso, eu quero, eu consigo; eu sou fonte criadora do Universo e crio a minha realidade; tudo o que faço é para o meu bem e o bem de todos; eu sou bom/boa em tudo o que faço; etc. Crie a sua afirmação, ela será de grande valia.

Não desista, persista!

A vitória é de quem acredita e faz!


Namastê.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O que é Deus?

Se eu te disser que Deus não existe, qual seria a sua reação? Provavelmente, você deve estar pensando que eu sou louca ou que estou completamente bêbada e escrevendo um monte de bobagens.

Eu também passei a vida inteira acreditando que Deus é um ser externo que nos protege, que nos pune quando cometemos erros e nos abençoa quando fazendo algo de bom. Um homem barbudo que fica lá em cima olhando por nós, igual a imagem deste post.
Pura balela.

Deus é apenas um nome. Você pode chamá-lo de Energia, Energia Divina, Energia Universal, Consciência Universal, Consciência Cósmica, ou qualquer outro nome com o qual você se identifica. Porém, Deus não está fora de você, nem te pune e nem te abençoa. Deus está dentro de você, ou melhor dizendo, Deus é você! (agora que a Tânia pirou de vez...)

O mundo só existe porque nós existimos. Somos nós quem criamos a nossa realidade e a realidade de outras pessoas. Se hoje estamos vivendo numa época com grandes recursos tecnológicos e também com muitas tragédias, nós somos os responsáveis por isso, porque somos nós quem criamos tudo isso.

Deus mora em nossos pensamentos, nas nossas emoções, as quais vibram constantemente. Além disso, Deus mora em nossas atitudes diárias. Com isso, somos capazes de criar e/ou mudar a nossa realidade e criar coisas ou situações em outras pessoas e/ou outros países.

Você já não teve aquele momento em que pensou numa ideia e depois de algum tempo alguém colocou essa ideia em prática, criou alguma coisa?

O tempo todo nós captamos os pensamentos/vibrações das pessoas, e é nesse momento que as coisas são criadas, seja por você ou por outras pessoas.

Nós somos ferramentas de Deus. Deus age através de você, e não para você.
O mais difícil é fazer as pessoas acreditarem que é você quem faz todo o trabalho. O mérito do resultado desse trabalho é todo seu.

Recentemente, após a luta da brasileira Amanda Nunes com a americana Ronda Rousey, uma reportagem do Esporte Espetacular mostrou o esforço de Amanda durante o ano de 2016 para conseguir vencer a luta. Segundo a reportagem, ela se manteve focada o tempo todo e treinou muito. No entanto, no dia seguinte a luta, o repórter perguntou o que seria da vida dela depois da vitória, e ela disse: “Primeiramente, eu quero agradecer a Deus...”.

Como assim agradecer a Deus? Ele não fez nada, quem fez foi ela. Deus apenas seguiu os passos que ela dava no decorrer do processo. Deus age de acordo com os seus atos. E Amanda agiu corretamente, treinando muito, se dedicando muito e manteve o pensamento positivo na garantia da vitória. O resultado não poderia ser outro. Se ela tem de agradecer alguém, é a ela mesma.

Sei que parece meio difícil de aceitar (ou acreditar) que Deus está em você. Eu também passei por isso, como já disse. Recentemente eu entendi como tudo funciona, e isso é maravilhoso! Porque você sabe que não dependerá de ninguém e nem de nada para vencer na vida, somente de você! E muito menos terá medo de sofrer as consequências de uma punição que não existe.

Essa energia, que chamamos de Deus, trabalha com você. Se você agir de forma incorreta, ela também irá agir de acordo, coisas ruins irão acontecer. Você não poderá culpar Deus por não estar numa fase de sorte. A culpa é sua. É você quem atua na atmosfera negativa. Quando mudar a sua vibração e acreditar que você é 100% responsável por tudo o que acontece em sua vida, perceberá um grande poder transformador, e sua vida começará a tomar o rumo que você deseja.

A partir de hoje acredite que você tem o mesmo potencial de Deus (ou Buda) e pode fazer qualquer coisa para transformar a sua vida. Liberte-se da ideia de um Deus punitivo, e seja imensamente feliz.


Namastê!