segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mais uma reunião budista...


Ontem, domingo, 21/08/2016, eu fui à mais uma reunião budista, só que desta vez foi na sede da SGI em São Paulo. Lugar enorme, porém lindo!
Eu fui a convite da esposa do meu amigo, e tive uma grande surpresa. Uma dessas surpresas incríveis que fazem a gente lembrar para o resto da vida.
Ao lado tem uma livraria. Eu cheguei cedo porque depois do evento a livraria costuma ficar lotada, e eu queria encontrar um livro que me indicaram. Infelizmente, o livro está sendo reeditado, mas comprei alguns que irão me ajudar. O que eu quero dizer que, quando eu estava na loja, vendo livros e balangandãs, o ator global João Vitti estava ao meu lado. De início, eu não o reconheci, mas depois o vi conversando com o caixa da loja e voialá... era ele mesmo.
Até aí, tudo bem.
Voltei para o templo para esperar as mulheres que iriam me fazer companhia. Alguns minutos depois deram início à prática.
E não é que o João Vitti deu uma palestra para nós?
Foi a coisa mais linda que já ouvi em minha vida. E ele, sendo ator, fez tudo com tanta paixão que me deixou ainda mais interessada em praticar o budismo Daishonin.

A vida sempre dá um jeito para que tudo se encaminhe para a direção certa, e a palestra só me mostrou ainda mais isto.

Namastê!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Um mês de prática Budista


Hoje completo um mês de prática budista.

No começo do ano, após um ano e meio de um relacionamento conturbado, ele finalmente veio ao fim. No entanto, isto me deixou muito mal, pois a decisão de terminar partiu do meu ex, e não de mim. Eu até implorei para ele não terminar comigo, mas ele não só terminou comigo, como ele já estava com outra.

Uau!

Não há um dia que eu não pense nele. Sinto muito a sua falta.

Porém, uns dias antes de isso acontecer, eu reencontrei um amigo quando eu pedalava na ciclovia do Rio Pinheiros, e de certa forma, a nossa amizade começou a florir.

Alguns dias depois, ainda sofrendo muito por causa do meu ex, eu enviei uma mensagem para um grupo de discussão sobre Lei da Atração dizendo que eu não suportava mais essa dor, e que eu queria ajuda para sair dessa. No mesmo dia, eu recebi uma mensagem de um rapaz que eu nunca vi na vida dizendo para eu recitar Nam-myoho-rengue-kyo e imediatamente eu reconheci o mantra por causa da Tina Turner. Esse rapaz disse que esse mantra iria me ajudar a me encontrar e me sentir melhor. E o mais interessante é que poucos dias depois, eu descobri que o meu amigo das pedaladas também é Budista e me explicou bastante coisa.

Lembro-me que a primeira vez que fiz o mantra, eu senti uma paz tão profunda que eu não tenho palavras para descrevê-la, e por causa disso, decidi recitá-lo todas as noites antes de dormir.

Mas como todo discípulo nem sempre segue o mestre, depois de alguns dias, eu parei de fazê-lo. Voltei a fazer os salmos que eu sempre fiz.

Claro que a situação piorou. Fiquei mais deprimida e chorava praticamente todos os dias por causa do meu ex.

O tempo passou, e o amigo de pedal me ligou perguntando se eu queria ir a um evento budista. Eu aceitei, mas depois de ver que seria o dia todo, eu fiquei um tanto quanto irritada, eu não queria ir mais, mas como já estava combinado eu fui assim mesmo.

Lá, eu descobri que era uma festa. Havia tantas pessoas felizes se divertindo. E eu só chorava.

Na volta, a sogra desse meu amigo começou a contar uma história de como realmente funciona o Nam-myoho-rengue-kyo, e foi nesse momento que eu entendi tudo.

No mesmo dia eu iniciei o Daimoku, que é a recitação do mantra por um tempo determinado por você mesmo. Eu comecei com 15 minutos. E desde então, eu não parei mais.

Nesse mês, não aconteceu nenhum milagre visível, mas percebi que a minha angústia pelo meu ex tem se dissipado a cada dia. Claro que também aconteceram umas coisas bem desagradáveis, mas notei que com o mantra eu me sinto mais confiante mesmo perante às situações ruins.

Eu estou muito feliz.

Ainda não sei se quero me converter, mas tenho pensado nisso seriamente.

Que o Universo continue iluminando a minha vida e que o Daimoku traga muitas esperanças para mim e para o resto do mundo.

Namastê.



Ah! Esqueci-me de dizer: para quem não conhece esse Budismo, ele é conhecido como Budismo de Nitiren Daishonin. Ele é bem diferente do Budismo Tibetano que estamos acostumados, e os dois são muito bons. Se estiver interessado, pesquise na Internet, há muita informação a respeito, e em breve pretendo escrever mais sobre ele.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Será que realmente somos imperfeitos?


Alguns dias atrás eu estava conversando com um amigo, pois a mãe dele está passando por problemas de saúde, e como ele é um homem religioso, eu resolvi perguntar: O que você está aprendendo com esta situação?

“Na vida estamos aprendendo todos os dias e em todas as situações, o valor estimável de uma vida em bem-estar ao lado de uma mãe, pai, filhos e irmãos é recompensador. O ser humano é repleto de imperfeições e nem tudo que parece ser certo para mim, pode não ser para você...”, foi a sua resposta.

Se Deus nos criou a sua imagem e semelhança, e Deus é a perfeição, por que nos consideramos imperfeitos? Afinal, o qual é a diferença entre perfeição e imperfeição? Será que ser perfeito é ser igual a Jesus Cristo? Não podemos nos esquecer de que Jesus Cristo foi um ser humano de carne e osso como todos nós. Por que só ele foi/é perfeito? Nós não somos perfeitos?

Eu acredito que o medo de admitirmos que nós sejamos perfeitos nos faz acreditar que a perfeição é algo que está longe do nosso alcance. Pelo contrário, a perfeição está dentro de cada um de nós. Eu sou centelha divina, sou feita da mesma matéria que Deus, apenas de forma mais condensada, mas eu sou. E você também é!


Não se coloque nessa posição de imperfeição, somos perfeitos dentro de nossas imperfeições. Lembre-se sempre disso!

Namastê!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Quando a vida interrompe.


Semana passada uma amiga minha ficou completamente arrasada com o seu trabalho. A tal esperada promoção não veio, e a empresa preferiu contratar alguém de fora ao invés de dar essa chance a ela. Ela ficou tão arrasada que chorou por dias. Nove anos de empresa, de muita dedicação, e o resultado foi esse.
Não deve ser muito fácil engolir uma notícia dessas. E não falo só de trabalho, falo de relacionamentos também. Existem pessoas que ficam casadas por anos, e de repente uma troca o outro por outra pessoa, ou simplesmente acabou o amor, etc. Eu acho que qualquer coisa que você se dedique por muito tempo e não tem o resultado esperado, causa a maior frustração. O que dizer de um atleta? Muitos dedicam a vida toda, e aquela tão sonhada medalha rola pelos dedos.
Já parou para pensar que essas coisas ruins acontecem e podem acontecer com qualquer um? No entanto, eu faço outra pergunta: já parou para pensar no sentido de um acontecimento como esses? O que será que você tem de aprender?
Talvez muitas pessoas vejam uma situação como essa como a pior coisa do mundo, mas o que devemos perceber é que o Universo pode estar te dizendo que você tem uma lição para aprender. Algumas pessoas não conseguem o que querem, insistem no erro, e o Universo é sábio, ele vai te dar aquilo de que precisa, e em muitos dos casos, uma lição.
Acredito que ninguém consiga enxergar o aprendizado logo de cara. É preciso muita reflexão a respeito, avaliar tudo o que foi feito e o que não foi feito para você ter esse resultado. Por isso cada situação é particular. Cabe somente a você ver o que é.
Será que você está pensando demais nos outros? Ou de menos? Será que você não perdoou alguém do passado? Será que você não está deixando você mesmo de lado? Será que você não precisa diminuir o ritmo? Será que você magoou alguém? Será? Será? Será? São tantos “serás” que não cabe a mim lhe dizer o que você tem de aprender.
Algumas pessoas passam por tragédias muitos maiores. Um acidente de carro sério. A morte de um filho. Uma doença grave. A vida te cobra o tempo todo. O tempo todo ela te dá sinais se você está no caminho certo ou não, mas quando não percebemos isso, ela nos dá essa rasteira. Poucas pessoas mudam mesmo depois dessa rasteira, poucas mudam pelo amor.
Antes que você fique com raiva da vida, de Deus, do Universo, das pessoas, do seu chefe, do seu ex, pare e pense: “o que será que tenho de aprender com isso?”
Quando eu estou caminhando pela rua e tropeço em algo ou num buraco, eu me pergunto se não estou pensando em algo errado. Um simples tropeço ao caminhar pode ser sinal da vida te mostrando que você está no caminho errado.
Por isso, é importante ter esse contato consigo. Por isso, grandes mestres praticam a meditação. Ela é uma forma de termos contato conosco e assim vermos o que é melhor para nós.
Lembre-se de que Deus (ou o Universo, seja a maneira como você vê isso tudo) não é punitivo. Quem nos pune somos nós. Talvez seja sinal de que vem algo melhor, e deve vir mesmo, porque depois de tanto pensar e repensar no que aconteceu, e se você entendeu o recado, sua energia muda, e o Universo lhe proporciona o que é realmente melhor para você.
O Universo, às vezes, quer apenas nos ajudar, mesmo que isso custe alguns dias de dor.

Pense nisso.
Namastê!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Quando é necessário jogar fora pessoas e sentimentos.


Faz mais ou menos um mês que terminei um relacionamento, o qual o término vinha se arrastando há meses. Era um relacionamento difícil com muitas cobranças e dor, mas no fundo do meu coração eu tinha esperança que um dia tudo mudaria. Ledo engano. E o dia D chegou. Eu não aguentava mais, e de certa forma, estava afetando as demais áreas da minha vida: saúde, família, amigos, lazer e trabalho. É impressionante como não damos conta de que algo ruim pode afetar toda a sua vida, podendo deixar sequelas difíceis de revertê-las. No entanto, é importante ter fé.
Você já deve ter percebido que o tempo todo nós jogamos coisas fora com a maior facilidade: resto de comida, embalagens de produtos, documentos velhos, materiais recicláveis etc. E quando é necessário literalmente jogar pessoas e sentimentos no lixo? O que fazer?
Sei que parece rude da minha parte dizer que jogamos pessoas e sentimentos fora, mas o que nós fazemos com as coisas que não nos são mais úteis, o mesmo deve ser feito com as pessoas e sentimentos, para que a nossa vida caminhe para frente.
Será que vale a pena sofrer e deixar a vida travada só porque estamos falando de pessoas? Será que a outra pessoa pensa em você? Será que ela merece todo esse seu sofrimento? E quando o outro te deixa sozinho? Ele ou ela não te jogou fora?
Não vamos tirar a nossa responsabilidade pelas coisas que acontecem em nossas vidas, afinal sofrer é uma escolha, e essa escolha foi sua (no meu caso, minha...). Só que de certa forma, a outra pessoa também não ajudou, não quis fazer parte de um plano juntos, e na esperança de acreditar que tudo um dia pode melhorar, cometemos as maiores atrocidades contra nós mesmos. Eu já devia ter terminado o relacionamento na primeira vez que eu percebi que não ia dar certo.
Agora vem a parte difícil.
Pegar todo aquele sentimento que eu tenho/tinha por ele e jogar no lixo. Isso mesmo, no lixo! Você não leu errado. E não falo só do que sinto/sentia, mas falo de jogar a pessoa por inteiro no lixo. Eu aprendi muito com ele, aprendi a me dar valor, a respeitar o que eu quero para mim, mas agora ele não é mais útil na minha vida, e o que sinto/sentia por ele também não, e a minha vida precisa andar, tomar um rumo diferente ou chegar naquele ponto que eu sempre quis. A gente não tem que esvaziar algo para que o novo possa entrar? Pense por este prisma, talvez você possa compreender melhor o que eu quero dizer.
Não sinta que você é uma pessoa má por fazer isso, muito pelo contrário, quando nos libertamos, libertamos o outro também. Pensar em sua felicidade é pensar na felicidade do outro também.
Decidi terminar a relação porque eu quero que ele também seja feliz. No fundo, nós não éramos felizes juntos. Talvez isso seja amor, não sei, só sei que é/era a coisa certa a se fazer. No entanto, ficar remoendo e revivendo na cabeça o que foi, o que poderia ter sido, o que eu fiz de errado/certo etc. não vai me ajudar em nada. Acabou! Simples, assim. Agora é deixar esse espaço ser preenchido por outra pessoa, com a certeza que dessa vez será bem diferente.
Lembre-se de que a pessoa mais importante no mundo é você! Se você não é feliz contigo, não será capaz de ser feliz com outra pessoa. E se o outro não é feliz contigo, deixo-o livre para fazer a sua escolha.
Existem pessoas que entram nas nossas vidas apenas para nos ensinar alguma coisa, portanto é necessário perceber a lição e jogar fora o que não presta.

Recicle seu coração!


Aqui está um artigo muito interessante que fala sobre o mesmo assunto.

Pense nisto!

Namastê.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Universo, seu melhor parceiro.


Toda criança tem um amigo imaginário. Bom, se isso for uma verdade, eu acho que eu nunca tive um amigo assim. O que eu lembro muito bem era que eu gostava de brincar sozinha e de falar sozinha (neste caso, eu falo sozinha até hoje – risos), mas não lembro se eu imaginava um amigo com pernas, braços, cabeça e conversava com ele ou ela.
Somente lá por volta dos quatro anos de idade eu me apeguei às bíblias que havia em casa. Eu não sabia ler, mas eu ficava encantada com o tamanho do livro, com a textura e com o cheiro, e gostava de ficar foleando o livro o tempo todo. Minha mãe até achava que um dia eu seria freira. Ledo engano. Passei longe da igreja e menos ainda de um convento. Por mais irônico que seja essa história, eu nunca sequer li a bíblia, somente a parte dos Salmos. (risos)
Eu tinha mania de pegar a bíblia e colocá-la no chão no meio do meu quarto, fechar a janela e a porta, para que o quarto ficasse bem escuro, e eu ficava esperando do lado de fora para ver se acontecia alguma coisa. A minha esperança era de abrir a porta e ver se alguém tivesse aberto e foleado o livro, mas isso nunca aconteceu.
O tempo foi passando e parei com essa “pequena mania”, mas adquiri uma paixão por crucifixos. Eu tive até uma pequena coleção deles e, nessa mesma época, eu tinha a certeza bem clara sobre a minha última encarnação. De alguma forma eu sabia que tinha sido padre, até anos mais tarde essa história se confirmar através de regressão às vidas passadas que eu fiz. Talvez explique essa minha conexão com bíblias e crucifixos de forma um tanto quanto esquisita quando eu era criança.
Por que eu estou contando toda essa história? Quando somos crianças, sempre temos a certeza que alguém nos ajuda. Eu sempre tive a certeza de ter alguém do meu lado, um anjo da guarda ou um mentor, não importa o nome, eu sempre contei com essa pessoa.
O problema é que quando envelhecemos, temos a falsa sensação de que estamos sozinhos, que tudo isso não passou de um amigo imaginário da infância. Algumas crianças nascem com a clarividência, e podem mesmo ter visto seu “amigo imaginário” em diversas formas, outras, como eu, não. Eu apenas tive (e tenho) a sensação de senti-lo perto de mim, sempre.
Quando estamos estressados, tristes, amargurados, deprimidos etc. perdemos esta conexão muitas vezes, é como se todo mundo, e Deus, tivesse nos abandonado.
Será que você parou para pensar que você nunca está sozinho? Segundo o Espiritismo todo ser humano encarnado tem outro ser desencarnado perto de você para acompanhá-lo em sua missão terrena. Ele é conhecido por “mentor”, mas há quem goste de chamá-lo de anjo da guarda. Existem pessoas que já fizeram contato direto com esse mentor, outras, nem sabem o nome dele, o que é meu caso. Às vezes eu fico pensando como ele ou ela é fisicamente, e qual seria seu nome. Portanto, quando eu rezo, peço sempre a sua presença, porque sei que eles são mensageiros e que nos ajudam sempre, ou quase sempre (risos).
De uns dois anos para cá eu tenho feito um trabalho espiritual comigo. Consiste em muitas orações, afirmações, vibrações e pensamentos positivos, e hoje além do meu mentor, eu sei que posso contar com a energia do Universo, por isso a fiz minha melhor amiga, a minha grande parceira para as alegrias e dificuldades do meu dia a dia. Concluindo, eu tenho dois grandes amigos imaginários (mais risos).
O que eu quero dizer é que se você estiver com algum problema, enfrentando alguma crise, seja ela de ordem material ou física (saúde), e se você não acredita em anjos ou mentores, saiba que existe a Energia Universal que rege todas as coisas no planeta, inclusive você! É com ela que você pode contar sempre.
Mas como faço isso?
Faça dela o seu “amigo imaginário”.
A melhor das opções é a meditação, mas se você não tem tempo ou paciência para isso, apenas ore, fique em silêncio, faça uma pergunta e espere. Apenas espere. Não fique nervoso ou ansioso, porque a ajuda virá.
Eu costumo fazer outra coisa que aprendi recentemente através da minha intuição (está aí outra grande amiga energética). Em todos os momentos da minha vida, seja uma coisa simples como escovar os dentes ou uma grande decisão a tomar eu digo para mim mesma: “Eu e o Universo juntos iremos tomar a melhor decisão, porque juntos podemos fazer qualquer coisa. A energia do Universo é a minha melhor amiga e ela quer o meu bem sempre”. Eu digo isso em pensamento ou em voz alta, depende do lugar onde estou no momento, é claro.
Por que você não tenta fazer o mesmo? Coloque essa força do seu lado como sendo a sua parceira para todas as horas, e que juntos irão fazer maravilhas e encontrar as soluções para os seus problemas.
Você não precisa ser religioso ou fazer parte de uma religião, pois essa energia está disponível para todos. Basta apenas acessá-la.
Lembre-se de que força não vem de fora, mas sim de dentro de você!

Sobre a história da bíblia. Bem, eu achava que o meu amigo imaginário iria abrir a bíblia e folheá-la enquanto eu esperava do lado de fora, mas eu acho que o meu amigo imaginário tinha coisa melhor para fazer, né? (gargalhadas)


Namastê.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Você está em harmonia com os seus sentimentos?


Você é o tipo de pessoa que quer muito uma coisa, mas você não consegue obtê-la? Sem sim, já parou para pensar se suas atitudes estão em harmonia com o que você deseja? Será que o que você quer, você quer de verdade?
Essa última pergunta é meio estranha, mas tem tudo a ver com o que quero falar aqui hoje. As pessoas desejam muitas coisas, mas nem sempre param para pensar se elas realmente querem essas coisas. Vou tentar me esclarecer um pouco melhor.
Por muito tempo eu fiquei desejando perder peso. Eu pratico atividade física constante há muitos anos, mas eu nunca consegui chegar ao peso ideal. Era uma briga constante com a balança e comigo mesma que fazia com que eu ficasse ainda mais desanimada. Eu adoro colocar o corpo para exercitar, mas deixar de comer essas guloseimas do dia-a-dia era um problema. Eu adoro pizza, coxinha, chocolate e doces. E claro que eu sempre me questionava, e claro que tudo isso era óbvio, não é? Se você quer emagrecer, você deve ter uma alimentação de acordo, no mínimo balanceada.
O que eu não estava percebendo era que a minha atitude não estava em sintonia com o meu desejo de emagrecer. Querer não é poder, atitude é poder. E desde então eu tenho me alimentado melhor, praticado mais atividades físicas porque estou colocando as duas coisas (desejo e atitude) no mesmo patamar energético, e em breve terei os meus benefícios. Sei que para emagrecer leva tempo, mas também sei que valerá muito a pena, porque eu estou fazendo isto por mim, entende?
Muitas pessoas querem ganhar mais, mas não fazem nada para melhorar em sua profissão. Muitas querem aprender alguma coisa nova, mas não procuram por cursos ou pessoas que podem ajudar. Hoje em dia podemos aprender tanta coisa, sozinhos, não é mesmo? O Youtube tem milhares de vídeos que ensinam milhares de coisas. Querer é o primeiro passo, o segundo é a atitude!
Às vezes temos desejos de coisas simples, como pedir desculpas para alguém, só que esperamos que o outro venha falar com a gente. Ou até mesmo consertar aquela torneira que está quebrada há seis meses!
Agir é movimento, a vida precisa desse movimento. Vontade apenas não faz as coisas se movimentarem, acontecerem. Não importa o tempo que leve, comece a agir agora!
Eu não vou negar que já fui assim. Desejava muita coisa e não colocava a mão na massa. Somente quando algo era realmente importante. No entanto, tudo é importante! Até o desejo e a realização de tomar banho é importante.
Portanto, pense muito sobre aquilo que você quer, e veja se está mesmo disposto a pagar o preço (tempo, dedicação, foco, paciência etc). Ninguém consegue o que quer sentado no sofá assistindo à televisão. Até para ganhar na loteria tem que jogar, não é mesmo?
Não adianta ter pensamentos positivos, fazer visualizações e não agir! Claro que pensamentos positivos e visualizações ajudam muito, mas o seu desejo só irá mesmo se concretizar quando você colocar atitude nele.
Pergunte a si mesmo: o que falta para o seu desejo se realizar? Suas atitudes e seus desejos estão em sintonia?
Pense nisso!

Namastê.